Blog Curiosidades Indústria

Animes fofos, não tão fofos assim!

©Doga Kobo/Shōtarō Tokunō

Se você já está há tempo o bastante nessa “indústria vital”, provavelmente, já se deparou com o termo “moe”. K-ON foi um dos precursores desse gênero, conquistando boa parte do público japonês, e estipulando uma necessidade de haver algo parecido toda temporada.

Mas nem só de fofura vive os animes moe e, pensando nisso, separamos alguns exemplos que são bem mais do que um grupo de garotinhas fazendo coisas fofas. Vale ressaltar que nem todos foram reconhecidos pela sua violência, mas sim pela forma de trazer conteúdos bem mais complexos que seus traços aparentam.


Shoujo Shuumatsu (Girls’ Last Tour)
©White Fox/Tsukumizu

Uma das gratas surpresas da temporada de outono de 2017, Shoujo Shuumatsu pode aparentar ter um traço simples e descompromissado, mas entrega uma experiência rica e divertida. A dupla protagonista leva a história com um clima agradável e garante um humor leve, sem deixar transparecer os problemas do mundo em que vivem.

A ambientação da história consegue remeter bem o sentimento de solidão. Em alguns pontos, provoca reações que te deixam tenso sobre o comportamento dos personagens envolvidos ali.

“Confiar ou não confiar?”

Pensamentos como esses fazem com que a simplicidade do anime fique unicamente nos seus traços. Se apenas a atmosfera da obra não for o suficiente, o final certamente vai te pegar de surpresa e fechar a obra com um toque especial.

New Game!!
©Doga Kobo/Shōtarō Tokunō

A primeira temporada segue os moldes clássicos de uma animação moe, sem criar muitas coisas, focando mais em construir a relação das garotas. Mas é na segunda temporada que as coisas realmente começam a andar, e todo esse clima de fofura começa a dividir espaço com o desenvolvimentos das personagens.

São reflexões sobre profissionalismo, estagnação e sonhos de carreira, sem deixar de lado o humor. O final do anime pode até mesmo surpreender pela maturidade com que as personagens tomam suas decisões.

Demi-chan wa Kataritai (Interviews with Monster Girl)
©A-1 Pictures/Petosu

Por trás de um clima leve e cheio de brincadeiras, Demi-chan vai, aos poucos, construindo uma história rica em reflexões sobre preconceito, aceitação e escolhas, criando um mundo para as personagens que vai muito além do que parece.

Não é difícil enxergar situações reais através das personagens apresentadas, mesmo que essas sejam criaturas sobrenaturais. Cada uma delas tem seus dilemas, problemas e anseios baseados em suas respectivas espécies, entretanto, por mais que isso sugira um afastamento da nossa percepção, acaba sendo justamente o contrário.

Você se sente tocado, interessado e curioso para saber mais de cada uma delas e, através dessa construção de amizade entre as três monstrinhas, o anime entrega uma ótima oportunidade para aprender um pouco mais sobre quem está ao seu lado.

Centaur no Nayami (A Centaur’s Life)
©Haoliners Animation League/Kei Murayama

Em uma sociedade feita unicamente por criaturas mitológicas (nada de humanos), o anime dispõe de uma proposta bem semelhante a Demi-chan, mas executa de uma maneira mais complexa.

Por trás do cotidiano da centauro Himeno, você vai sendo apresentando a um mundo extremamente detalhado e vivo. O anime não tem medo de provocar o espectador com críticas ao nosso comportamento, afinal de contas, em uma sociedade tão diversificada quanto essa da obra, chega a ser irônico quase não existir preconceito pelas diferenças físicas.

A obra não se limita somente a esse aspecto, pois também busca ressaltar a importância da inclusão, aceitação e da adaptação por parte da sociedade para atender os diferentes indivíduos que vivem naquele mundo.

Por mais que pareça “bobinho”, é incrível o quão profundo a obra consegue ir usando somente o apelo visual que dispõe.

Gakkou Gurashi! (School-Live!)
©Lerche/Kaihō Norimitsu/Chiba Sadoru

Chega a ser até um desperdício ter que citar esse anime aqui, já que boa parte da graça dele está em ir assistir sem qualquer informação, mas vamos lá. Como o nome sugere, você vai acompanhar o dia a dia de um grupo de quatro garotas em uma escola… só que durante um apocalipse zumbi!

O que era para ser apenas um anime fofinho com garotinhas brincando em papéis de sobreviventes, acaba se tornando algo bem mais complexo e cheio de dramas, em alguns casos, até caindo em temas depressivos.

Em síntese, você vai acabar sentindo vontade de chorar quando um certo plot twist acontecer e, provavelmente, vai ficar aflito com a possibilidade de personagens importantes morrerem no caminho.

Conheça mais curiosidades sobre a indústria dos animes.
Com exceção de Girls’ Last Tour, todos os demais animes citados estão disponíveis no catálogo do serviço de streaming Crunchyroll.

Posts relacionados