Blog Curiosidades Indústria

Cavaleiros do Zodíaco: relembre esse nostálgico anime

©Toei Animation/Masami Kurumada

Os Cavaleiros do Zodíaco é uma obra criada e ilustrada por Masami Kurumada, publicado originalmente pela revista Weekly Shōnen Jump de 1985 a 1990; que teve uma versão animada produzida pelo Toei Animation entre 1986 a 1989, com 114 episódios. Anos depois, em 2002, a Saga de Hades foi adaptada novamente pela Toei Animation.


Sagas

Guerra Galáctica: a primeira saga da obra. Nela, conhecemos os Cavaleiros de Bronze, que foram mandados por Mitsumasa Kido, avô de Saori Kido (Atena); para determinados locais nos quais passariam por um treinamento intensivo em busca das armaduras de bronze. A fim de proteger a deusa Atena.

São apresentados então os principais cavaleiros:

  • Seiya de Pégaso;
  • Shiryu de Dragão;
  • Hyoga de Cisne;
  • Shun de Andrômeda;

Junto com os demais participam da Guerra Galáctica, lutando entre si com o objetivo de conquistar a armadura de ouro de Sagitário. Uma das lutas mais marcantes dessa saga é, sem dúvidas, a de Seiya contra Shiryu.

©Toei Animation/Masami Kurumada

Os Cavaleiros Negros: a saga se inicia com a aparição de Ikki de Fênix, irmão mais velho de Shun. Ikki, de início, surge como o primeiro vilão da obra. Seu objetivo é roubar a armadura de ouro. Ele interrompe a Guerra Galáctica e divide a armadura em 9 partes. Fênix teve ajuda dos Cavaleiros Negros, renegados do Santuário, porém, algumas partes da armadura são recuperadas e entregues para Saori.

Shiryu parte então para encontrar Mu, homem capaz de restaurar as armaduras de Pégaso e Dragão, que foram quebradas durante a luta. Dentre os cavaleiros negros, existem os que são as cópias dos de bronze, sendo eles:

  • Pégaso Negro;
  • Dragão Negro;
  • Cisne Negro;
  • Andrômeda Negro;

Logo, cada cavaleiro de bronze luta contra sua versão negra.

Em linhas gerais

Essa saga é interessante, pois mostra um pouco do passado de Ikki, como ele foi parar na Ilha da Rainha do Morte, e como ele conquistou sua armadura. No caso, matando seu próprio mestre, após ele matar sua própria filha Esmeralda, amada de Ikki. Após tentativas de fazer com que Ikki se alie a eles, um terremoto ocorre e outros cavaleiros com armaduras negras surgem roubando 8 partes da armadura de ouro.

©Toei Animation/Masami Kurumada

Os Cavaleiros de Prata: se inicia com o ataque de Dócrates aos cavaleiros de bronze. Após o ocorrido, eles recuam e voltam à mansão para proteger o elmo da armadura de ouro. Mas Dócrates aparece para levar o elmo e acaba sequestrando Saori para usar como moeda de troca.

No final, Dócrates acaba sendo derrotado por Seiya, Shun e Hyoga. É nessa saga que o Cavaleiro de Cristal, mestre de Hyoga, acaba morrendo pelo seu pupilo.

Os Cavaleiros de Prata então são enviados para punir os de Bronze. Vale destacar algumas lutas dessa saga como:

  • Seiya vs Misty de Lagarto;
  • Shiryu vs Algol de Perseu.

Essa, no caso, é a famosa luta em que Shiryu fura seu próprios olhos e fica cego.

©Toei Animation/Masami Kurumada

A parte famosa

Os Cavaleiros de Ouro: a saga mais famosa da série, a mais amada e também a melhor! Descobrimos que Aioria é irmão mais velho de Aioros. Também descobrimos que Saori é a reencarnação de Atena. Após a derrota dos Cavaleiros de Prata, o mestre do santuário manda para derrotar os Cavaleiros de Bronze, Aioros, Cavaleiro de Ouro de Leão.

Ele vai até à mansão e batalha contra Seiya, que usa a armadura de Sagitário por um momento. Então Aioros reconhece Saori como Atena e volta para o santuário, a fim de questionar o Mestre. Aioros então acaba sendo atingido pelo mesmo poder que o Cavaleiro de Cristal, o controle mental.

Saori e os Cavaleiros de Bronze decidem, então, ir ao santuário e, no momento em que chegam, Saori é atingida pela flecha do Cavaleiro de Prata, Tremy de Sagita. Que avisa aos cavaleiros que a mesma flecha acertará o coração de Saori em doze horas e o único que pode retirá-la é o Mestre do Santuário. Porém, para trazê-lo, eles teriam que passar pelas doze casas:

  • Áries;
  • Touro;
  • Gêmeos;
  • Câncer;
  • Leão;
  • Virgem;
  • Libra;
  • Escorpião;
  • Sagitário;
  • Capricórnio;
  • Aquário;
  • Peixes;

Praticamente, todas as lutas dessa saga são marcantes, mas podemos destacar:

  • Seiya vs Aldebaran;
  • Shiryu vs Máscara da Morte;
  • Ikki vs Shaka;
  • Hyoga vs Camus;
  • Shiryu vs Shura;
  • Shun vs Afrodite;

No final, é revelado que o Mestre era, na verdade, Saga de Gêmeos, que havia matado o antigo mestre.

©Toei Animation/Masami Kurumada

Thor approves

Asgard: Esta é uma saga filler, que, divide opiniões. É introduzida a mitologia nórdica na obra e começa apresentando Hilda e os Lendários Guerreiros Deuses. Ela é dominada pelo anel de Nibelungo, que no final foi revelado que quem está por trás disso é Poseidon.

Os Guerreiros Deuses são tão poderosos que se equivalem aos Cavaleiros de Ouro, sendo eles:

  • Siegfried de Dubhe, estrela Alfa;
  • Hagen de Merak, estrela Beta;
  • Thor de Phecda, estrela Gama;
  • Alberich de Megrez, estrela Delta;
  • Fenrir de Alioth, estrela Épsilon;
  • Shido de Mizar;
  • Bado de Alcor, estrela Zeta;
  • Mime de Benetnasch, estrela Eta;

A batalha termina com Seiya usando a Armadura de Odin, concedida por ele em conjunto com a espada Balmung. A saga termina com uma onda engolindo Saori, que surge nos braços de Poseidon, em seu templo, dando início a saga seguinte.

©Toei Animation/Masami Kurumada

Para os mares

Poseidon: começa com Saori acordando em um quarto junto com Julian Solo, que está completando 16 anos e organizou uma festa para tal comemoração. Ele pede Saori em casamento, porém, a oferta é recusada.

É revelado que Julian é, assim como no caso de Saori, a reencarnação de Poseidon. Como sempre, a missão é salvar Saori, dessa vez, ela morrerá quando o Grande Suporte Principal for inundado. Cabe aos Cavaleiros de Bronze destruir os sete pilares que sustentam os sete mares do mundo, e, com isso, terão que vencer os sete Generais Marinas:

  • Bian de Cavalo Marinho, guardião do Pilar do Oceano Pacífico Norte;
  • Io de Scylla, guardião do Pilar do Oceano Pacífico Sul;
  • Krishna de Chrysaor, guardião do Pilar do Oceano Índico;
  • Kasa de Lymnades, guardião do Pilar do Oceano Antártico;
  • Isaak de Kraken, guardião do Pilar do Oceano Ártico;
  • Sorento de Sirene, guardião do Pilar do Oceano Atlântico Sul;
  • Kanon de Dragão Marinho, guardião do Pilar do Oceano Atlântico Norte.
©Toei Animation/Masami Kurumada

Go to Hell

Hades: saga final do anime, lançada alguns anos depois do fim da saga Poseidon. É o início de uma nova Guerra Santa, onde se enfrentam Atena e seus cavaleiros contra Hades e seus 88 espectros. Temos, de volta, alguns personagens que tiveram destaque no passado como:

  • Máscara da Morte;
  • Afrodite ;
  • Saga;

Ressuscitaram a serviço de Hades, além disso, há a apresentação do antigo cavaleiro de Áries e mestre de Mu, Shion. Ele acaba entrando em uma luta contra Dohko de Libra, nada mais, nada menos que o Mestre Ancião. Para ir até Hades, os Cavaleiros de Bronze vão até o inferno.

Destaque para Kanon, irmão de Saga, que se arrepende de seus pecados e assume a armadura de Gêmeos.

Para entrar no Elísios, é necessário então a união das doze armaduras de ouro que abrem o portal, passando por ele os cinco protagonistas. Que enfrentam Hypnos e Thanatos após adquirir as Armaduras Divinas. Com a morte de Hades, finalmente, se encerra a última Guerra Santa.

©Toei Animation/Masami Kurumada

Dublagem

A dublagem é, sem dúvidas, um dos maiores destaques da obra; pelo menos para os brasileiros. A primeira dublagem foi feita no antigo estúdio Gota Mágica, porém, se perdeu com o falecimento da TV Manchete, além de terem muitos erros de tradução. Pelas questões burocráticas, em 2003, o estúdio Álamo redublou todo o material, corrigindo os erros da tradução e melhorando a qualidade do áudio.

As vozes dos principais cavaleiros são marcantes, sendo:

  • Seiya – Hermes Baroli;
  • Shiryu – Élcio Sodré;
  • Hyoga – Francisco Bretas;
  • Shun – Ulisses Bezerra;
  • Ikki – Leonardo Camilo;

Considerações finais

Os Cavaleiros do Zodíaco, sem dúvidas, trata-se de uma das obras que mais marcaram aqui no Brasil, tendo uma legião de fãs por todo o país. Talvez para as pessoas que assistam agora, não seja tão emocionante, pois o fator que pesa muito é o nostálgico.

Tem que se levar em consideração que é uma obra de 1986, logo, algumas pessoas que nunca tenham visto ache algo datado, então, caso você não tenha assistido, vá com a mente aberta e aproveite essa obra maravilhosa.

Posts relacionados