Animes Blog Curiosidades

School Days: o próprio terror em anime?

©TNK/Keitaro Motonaga
School Days – anime perigoso

“Aviso aos senhores clientes. Esse artigo não é uma Review, logo, adianto de antemão que há spoilers por todo o texto. Caso não tenha visto ao anime e pretende fazer o mesmo, leia a seu próprio risco.”

Alerta! Antes de começar, já vou avisando para tomarem cuidado com o Makoto Itou; talvez você seja a próxima vitima… School Days, um anime simplesmente “diferente” de tudo que você já viu, infelizmente, no sentido negativo. Nessa semana de Hallowfee, entenda porquê você deve evitar essa “aberração”.

Para quem não conhece ou nunca ouviu falar dessa obra, é basicamente um anime de romance com o foco principal sendo voltado ao protagonista; Makoto. Ele, supostamente, é apaixonado por uma menina de sua escola chamada Kotonoha Katsura – o mesmo não tem coragem suficiente para conversar com a garota – então sua amiga de sala, Sekai Saionji, resolve o ajudar a conquistar sua “amada”, mas a mesma, logo no final do primeiro episódio, lasca um beijo nele.

©TNK/Keitaro Motonaga

No inicio, você se identifica com o protagonista, afinal, várias pessoas são tímidas e não conseguem chegar a pessoa que o atrai; mas isso dura pouco.

Esse anime possui traição, que, em si, já é um assunto polêmico. Não é um gênero que agrada muita gente, mas School Days deu um passo a mais e fez o protagonista, literalmente, ir para a cama com quase todo o elenco da obra. Isso se deve ao fato de ele ter conseguido se confessar para a sua “amada”, por coincidência, ela também o admirava; sendo assim, os dois começam a namorar, mas Sekai resolve o ajudar ensinando-o a como tocar em uma garota. Sim, é exatamente o que vocês estão pensando.

©TNK/Keitaro Motonaga
Prosseguindo

Com isso, o nosso “amigo,” “camarada”, “super legal” Makoto; fica chateado, afinal de contas, ele queria que sua namorada fosse mais “liberal”, pois a mesma é muito tímida e não cede aos toques dele; ao se sentir incomodada com o ato. Ele busca essa sede por prazer em sua “amiga”, “camarada”, “super legal” e liberal – Sekai.

Basicamente, Makoto fica com uma traindo a outra (por mais que ele tenha se afastado de Katsura para ficar com Sekai, o mesmo não chegou a terminar com ela, então, ainda continua sendo traição). Não satisfeito com isso, ele acaba se relacionando com várias outras meninas de sua escola; incluindo a melhor amiga de Sekai. Ele fica nisso até a mesma o confrontar – dizendo que ele havia engravidado a ela. Todas as meninas que ele estava mantendo relação o dispensam.

©TNK/Keitaro Motonaga

Quase me esqueci de mencionar, que, nesse anime, há pseudo-estupro. Sim, isso também. Um amigo de Makoto; chamado Sawanaga Taisuke, é apaixonado por Katsura. Em um dos episódios, o mesmo se confessa para ela, porém, a garota não reage e ele começa a tirar a roupa da menina. A mesma não faz nada e, por muitos, isso é criticado.

Essas infelicidades continuam acontecendo por quase doze episódios; e a cada um, eu fiquei mais inconformado com o que estava acontecendo. E com um pouco de pena da Katsura, afinal, a mesma não havia feito nada de “errado”.

©TNK/Keitaro Motonaga
Desfecho

Já no ultimo episódio, eu simplesmente fiquei sem palavras. Pois, mesmo depois de tudo o que vi, o anime ainda conseguiu me surpreender com um final digno… sim; Makoto morreu (para a alegria da galera).

A morte do protagonista é causada por Sekai. A mesma também é morta por Katsura no terraço da escola e, logo após isso, tem sua barriga aberta para confirmar mesmo se estava grávida. Confirmando a teoria que era apenas uma mentira para Makoto ficar com ela.

©TNK/Keitaro Motonaga

Admito que fiquei alguns dias revoltado e traumatizado. Até hoje, penso no porquê fui assistir isso, definitivamente, um anime perfeito para você pedir para o seu pior inimigo assistir; ou para pregar uma peça em seus amigos – dizendo que é algo completamente diferente (confesso que fiz isso).

Resumindo, em poucas palavras, School Days se trata de um anime inovador, pois o mesmo causa terror nas pessoas sem precisar ter esse gênero em sua obra.

©TNK/Keitaro Motonaga

Posts relacionados