Blog Curiosidades Indústria

J.C. Staff: um estúdio que deveria ser mais valorizado

©J.C. Staff/Yuto Tsukuda/Shun Saeki | “Shokugeki no Souma, um dos sucessos do estúdio”

Em muitas oportunidades, determinados estúdios de animação japonesa acabam pegando vários animes por ano ou até por temporada. Isso pode acabar prejudicando o resultado final com bugs, visuais tortos e queda na qualidade de sua animação.

Contudo, há um estúdio que virou sinônimo de: “trabalho bom, é trabalho em excesso”; pegando muitos animes por temporada, e estamos falando do J.C. Staff. Mas será que não estamos sendo muito rigorosos nas críticas?

Uma história que começou na década de 80

Antes de tudo, precisamos voltar ao ano de 1986, no qual o estúdio foi fundado. Seu primeiro trabalho em animações foi uma série OVA, de nome Sengoku Kidan Yōtōden, lançado em 1987. Desde então, o estúdio não parou de produzir animes dos mais diversos gêneros.

Contudo, nos últimos tempos — quatro anos mais ou menos — o estúdio J.C.Staff começou a pegar vários animes, e muitos deles saíram em uma mesma temporada, fazendo com que as críticas relacionadas ao seu trabalho fossem cada vez mais evidentes.

Mas será que os comentários negativos acerca do estúdio são plausíveis? A “massa” tem razão em reclamar tanto? Em partes eu concordo, mas em outras não.

Prosseguindo

No sentido visual, produzir muitos animes por temporada irá fazer a qualidade cair por mais que você destine maior parte dos seus animadores para determinada obra. O Ufotable é um dos casos mais emblemáticos no sentido de produzir com excelentes schedules para que a obra sempre tenha a melhor adaptação possível.

©J.C. Staff/Kazuma Kamachi | “Toaru Majutsu no Index, outra das conhecidas obras da casa”

Contudo, existe um contraponto interessante nesta situação. Há animes que se não fosse pelo J.C. Staff, dificilmente ganhariam uma adaptação animada.

Por exemplo, na temporada de verão de 2019, o estúdio pegou quatro animes:

  •  Dungeon ni Deai II;
  • Tsuujou Kougeki (o anime da mãe);
  • Toaru Kagaku no Accelerator;
  • Machikado Mazoku.

Desses quatro, tirando os já populares Dungeon ni Deai e Accelerator, os outros dois eram obras totalmente desconhecidas que foram boas adaptações, em especial Machikado Mazoku.

Mas você deve estar se perguntando:

  • “— Ah, mas outro estúdio não poderia pegar esta obra e fazer uma adaptação melhor?”.

Poderia mesmo? Apesar das críticas, o estúdio é responsável por uma “tonelada” de sucessos, tais como:

  • Toradora;
  • Shokugeki no Souma;
  • Shakugan no Shana;
  • Bakuman;
  • Sakurasou no Pet na Kanajo;
  • Várias adaptações da franquia de Toaru;
  • High Score Girl, que é uma grata surpresa.
Em linhas gerais

Ter senso crítico é importante quando assistimos determinada obra, contudo, temos que ver a contraparte deste fator, pois apesar da perda de qualidade, há obras que não conhecemos sendo adaptadas pela “casa”, que muita das vezes, não é valorizada pelo público mainstream.

Grande parte dos animes listados no texto estão disponíveis no catálogo do serviço de streaming Crunchyroll — navegue e confira!
Veja mais curiosidades sobre a indústria.
Alguns dos animes citados já dispõe de review em nosso site — confira o nosso índice.

Posts relacionados