Blog Primeiras Impressões Temporada de Inverno

Primeiras Impressões: Tate no Yuusha no Nariagari

©Kinema Citrus/Yusagi Aneko
Tate no Yuusha no Nariagari – Descrição técnica

Nome alternativo: The Rising of the Shield Hero
Diretor:
Takao Abo
Autor original: 
Yusagi Aneko
Estúdio: 
Kinema Citrus
Adaptado de: 
Light Novel
Data de estreia: 
09 de janeiro (pré-estreia em 05 de janeiro)
Gênero: 
Ação, Aventura, Comédia, Drama, Fantasia, Romance

Um dos mais comentados e, talvez, mais esperados animes do inverno de 2019. Tate no Yuusha é mais um isekai nesse vasto mundo dos animes? Ou será que chegou para dar uma renovada no gênero? Nossa staff assistiu a pré-estreia e já dispõe de uma opinião.


David Gutierres – Programador do Café Stile 

A voz do Naofumi interpretada pelo seiyuu Kaito Ishikawa foi, absolutamente, fantástica. Realmente capturou seu lado inocente durante a primeira parte e depois o lado traído e revoltado na segunda metade.

©Kinema Citrus/Yusagi Aneko | “Muito bacana essa ambientação!”

A qualidade da animação é consistente na maior parte do tempo, então, espero que eles possam manter esse nível até o fim da produção.

Nota: 4/5 – Café au lait


Breno Santos – CEO do Café Stile 

A proposta de Tate no Yuusha é, de longe, bem interessante. O que eu mais gostei foi o fato do protagonista dispor apenas de um escudo. Obviamente, logo conectei com o Capitão América; um dos meus personagens favoritos do universo Marvel. A parte mais competente desse anime, certamente, está em seu roteiro.

Sempre ouvi muitos elogios referentes ao material original e, pelo menos nesse primeiro episódio, tudo que eu escutei está sendo justificado. Ademais, um grande acréscimo é a interpretação do Kaito Ishikawa. Precisei de três segundos para soltar a seguinte frase: é o Sakuta de Bunny Girl.

©Kinema Citrus/Yusagi Aneko | “Que ranço dessa mulher!”

Outrossim, o trabalho da staff está nos padrões. O Kinema Citrus é um estúdio que pega poucas obras. Isso ficou evidente, pois o episódio está “redondinho”. Entretanto, o ritmo do mesmo não exigiu cenas de maiores movimentações. Porém, não acho que o estúdio vá deixar a consistência decair.

Em linhas gerais, a produção está fiel a light novel. Com um passing lento e detalhista o que, para mim, agrada bastante. O anime promete, vamos ver como será seu progresso.

Nota: 3/5 – Café expresso


Luany Bastos – Instagram do Café Stile 

Já na sinopse, ele me ganhou, principalmente, ao se assemelhar a jogos de RPG, pelos quais eu tenho uma queda. Me lembrou de manhwas como The Gamer, devido ao estilo de upar e subir de nível, e animes como Konosuba, que possuem um cenário semelhante.

O personagem principal é, obviamente, o mais “ferrado” de todos. Sendo invocado como herói do escudo (que apesar de tudo eu achei deverás útil); ele é considerado o mais fraco dos heróis.

Naofumi, então, é traído pela sua única “companheira”, que o rouba e o acusa de estupro, o deixando completamente sem dinheiro e sem moral nenhuma diante das pessoas do reino. Eu gostei bastante da atitude dele após a traição (não é spoiler, está na sinopse).

©Kinema Citrus/Yusagi Aneko | “Olá loli…”

Estava tudo tranquilo até aparecer uma cópia do Conde do Milênio (entendedores entenderão) perguntando se ele quer uma “mãozinha” na jornada dele. Aí descobrimos uma venda de escravos e terminamos esse episódio piloto com o nosso herói olhando para sua nova loli.

Sinceramente, eu adorei o anime, e já estou criando altas expectativas no meu kokoro”. Ele tem tudo para ser um ótimo, e eu, definitivamente, vou continuar vendo Shield Hero para saciar minha sede incontrolável por entretenimento.

Nota: 5/5 – Expresso Macchiato


Gabriel Perianez – Redator do Café Stile

O anime, a princípio, é um isekai comum; o que é normal hoje em dia, porém, alguma coisa me diz que ele tem um potencial interessante. Naofumi é um otaku que não trabalha e faz faculdade, determinado dia, ele vai atrás de alguma light novel para ler. Acaba achando um livro que o teletransporta para outro mundo.

©Kinema Citrus/Yusagi Aneko | “Essa cena foi engraçada!”

Neste, existem os heróis que têm a função de vencer as ondas. Existem quatro classes e o primeiro episódio do anime faz questão de dizer o quão a classe do escudo é menosprezada. Com um acontecimento intrigante, estou ansioso para ver como Naofumi irá upar tendo uma classe que não oferece nada no quesito ataque, além de como ele irá lidar com a revolta de ser enganado e injustiçado por todos.

Nota: 4/5 – Café au lait
Nota média da Staff: 4/5 – Café au lait


©CloverWorks/Hajime Kamoshida | “Esse anime aparenta que vai ser tão bom quanto o sorriso da Mai!”

Tate no Yuusha no Nariagari está em simulcast pelo serviço de streaming Crunchyroll.

Posts relacionados