Animes Blog Reviews

Review: Akanesasu Shoujo

©DandeLion Animation Studio/Jumonji/Yuuichi Abe
Akanesasu Shoujo – Descrição técnica 

Nome alternativo: The Girl in Twilight
Diretor: Jin Tamamura
Estúdio: DandeLion Animation Studio, Jumonji
Adaptado de: (—) obra feita originalmente para TV
Data de estreia: 01 de outubro
Gênero: Ação, Ficção científica, Vida escolar

Personagens

O enredo é rico em boas personagens. Cada garota dispõe de uma personalidade diferente. É como se cada uma desse quinteto conseguisse complementar a outra. Isso é um acréscimo para que o telespectador acompanhe a obra até o fim.

Esse contraste das personalidades começa com a protagonista – Asuka: uma personagem totalmente “fora da casinha”. Seu jeito otimista de encarar tudo sempre com um sorriso é cativante. A contraparte dela de outra dimensão, chamada de “Seriasuka” – o nome é auto-dedutivo – traz a voz da experiência e também o arquétipo “turrão” para o enredo.

Afinal, estamos falando de estudantes totalmente despreparadas para encarar o crepúsculo – alguém precisava por ordem.

©DandeLion Animation Studio/Jumonji/Yuuichi Abe | “O quinteto fantástico!”

Merecem destaque: Asuka Tsuchimiya, “Seriasuka”, Chloe Morisu
Surpreenderam: Nana Nanase, Mia Silverstone
Poderiam ser mais aproveitados: Yuu Tounaka

Em qualquer obra, personagens pensativos e silenciosos chamam à atenção. Normalmente, eles têm algo escondido; que traz à tona essa personalidade retraída. Quem faz esse papel no anime é a Chloe. Apesar de ter sido “jogada no limbo” na primeira parte, a resgataram de uma forma muito atrativa depois.

A Nana me surpreendeu pelo design; bem como pela sua personalidade forte também. A Mia ganhou um arco muito interessante. Não esperava por isso, uma vez que, o papel dela, a princípio, era somente de suporte, fazendo a personificação da garota distraída.

Quanto a Yuu, nem mesmo um arco ela teve. Achei o papel do “love power” no final, deveras, forçado. A versão erótica dela de outra realidade se sobressai bem mais que a original.

Análise técnica 

O anime traz um bom character design. O trabalho de Hiroki Harada foi interessante; é uma pessoa experiente no mercado, inclusive, já trabalhou como key animator em Fullmetal Alchemist: Brotherhood. Entretanto, a execução das cenas de ação do anime são péssimas. A má utilização da computação gráfica (de praxe nessa indústria vital) é notável – até demais.

©DandeLion Animation Studio/Jumonji/Yuuichi Abe | “O character desing da Nana é muito bom!”

A abertura e o encerramento trazem um ótimo tom melancólico. Soranetarium é o nome do tema da openingKowarekake no Radio é a ending.

Composição de série 

Certamente, depois das personagens, essa é a outra parte competente da produção. O anime é recheado de plot twist; para adoradores desse artifício (inclusive esse que vos fala) a obra é um prato cheio. Reviravolta é o que não falta e há até uma “zoação” com algumas questões de outros animes.

©DandeLion Animation Studio/Jumonji/Yuuichi Abe | “Cowgirl!”

Em linhas gerais, o drama da Asuka e do irmão dela, junto a essas viradas na história; compensam muito a má qualidade das cenas de ação. O que me irritou, de fato, foi o “romance” totalmente anti-climático no final. Não há construção alguma para que aquilo acontecesse.

Acrescentando, a questão da hora do crepúsculo é outro ponto que chama bastante à atenção. Reforçando esse lado sobrenatural da obra.

Recomendação da sua cafeteria

Apesar de ser falho nas cenas de ação, o anime não deixa a desejar no plot. Foi uma surpresa agradável, pois eu não esperava nada da produção. Se você gosta de temáticas que envolvem viagens a realidades paralelas, a obra é recomendável.

Nota: 7 – Café submarino 

©TROYCA/Nio Nakatani | “Parece que a Yuu se surpreendeu com o título!”

Akanesasu Shoujo está disponível no catálogo do serviço de streaming HiDive.

Posts relacionados