Animes Blog Reviews

Review: Hanebado!

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada
Hanebado! – Descrição técnica 

Diretor: Shinpei Ezaki
Autor original: Kusuke Hamada
Estúdio: LIDENFILMS
Adaptado de: Mangá
Gênero: Esportes

Personagens

Um anime de esportes focado em drama? Isso mesmo. Indubitavelmente, Hanebado se destaca como obra quando tratamos do anime como um drama esportivo, uma vez que, a maioria de animes desse gênero costumam ter – de contra-plano – uma pegada de comédia. Esse fator dramático da obra, deu profundidade há muitas personagens; como também deixou algumas bem rasas.

Começando pela dupla de protagonistas: Ayano e Nagisa. A primeira citada já nasceu com um puro talento para jogar badminton. Eu gostei da forma como a personagem foi trabalhada no início, entretanto, suas mudanças bruscas de personalidade, às vezes, soavam forçadas.

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada | “A Ayano amorzinho é bem melhor!”

Merecem destaque: Nagisa, Ayano e o treinador Tachibana
Surpreenderam: Connie, Yukiteru e Gaku
Poderiam ser mais aproveitados: Elena, Uchika e Kaoruko

A outra protagonista, Nagisa, é total contraparte de Ayano. Ela é boa no badminton, entretanto, tudo que ela conquistou foi por fruto de esforço e muito treino. Dessa forma, tende-se a simpatizar mais com a personagem; apesar dela ser durona.

O treinador Kentarō Tachibana também está na lista de destaques devido a sua história, que, apesar de soar incrível, não foi muito abordada. Entretanto, sua inteligência para com os jogos foi algo notável. Sem falar que foi ele quem trouxe a Ayano – desacreditada – de volta ao jogo.

Prosseguindo

Quanto a galera que surpreendeu, começamos com a Connie. Uma personagem que se mostrou muito arrogante em sua estreia, entretanto, conseguiu mostrar todo o seu lado “família” por volta dos episódios finais – onde finalmente entendemos sobre a posição dela em relação a Ayano.

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada | “Connie: uma loira dessas!”

Prosseguindo, temos a dupla de meninos do clube de badminton da escola Kitakomachi – Gaku e Yukiteru. Apesar deles não terem sido explorados com profundidade, o episódio focado em ambos foi muito interessante. Outrossim, mostrando o esforço de ambos para conseguir conquistar o intercolegial, pois estavam em seu último ano no colégio.

Sobre a Elena, ela tinha tudo para ser peça chave – principalmente resolvendo o problema de Ayano com a mãe – todavia, a personagem é jogada de escanteio depois do episódio dois. Ela é a manager do time, porém, não focam nem um pouquinho nela e, como sabemos, essa função costuma contar com personagens bem carismáticas quando tratamos de animes esportivos; vide Riko e Momoi de Kuroko no Basket.

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada | “A única coisa que a Elena fez de útil no anime foi dar uma raquetada no treinador”

Há também a Kaoruko Serigaya, uma aluna de um colégio rival, que, aparentemente, tinha uma relação de ódio com a Ayano há muito tempo (será que a Ayano não se toca que ninguém gosta dela?). Há um episódio mostrando o background disso, todavia, faltou mais dela. A personagem aparece volta e meia na arquibancada, porém, seu desenvolvimento foi deixado de lado. Uma pena, pois a personagem é muito legal.

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada | “Kaoruko botando pra f*der!”
Com uma mãe dessas viu? 

Encerrando esse tópico, vamos à Uchika Hanesaki – a mãe da Ayano. Que mãe! Meus amigos (full irônia). O enredo por trás da história dela com a filha tinha tudo para ser um drama excepcional, entretanto, o plot, que, encantava com sua densidade, foi jogado de lado.

Análise técnica

A animação de Hanebado surpreendeu aos olhares de muitos. Os primeiros episódios são um brilho aos olhos, entretanto, como era de se esperar, o LIDENFILMS deixou a peteca cair (não podia perder a piada). A animação começou a ficar com a aparência de feita as pressas; a partir do episódio oito. O episódio sete teve o melhor jogo do anime (Ayano x Kaoruko) – onde as principais cenas ficaram a cargo do animador Hiroaki Kawaguchi. Ele é experiente e já fez key animation para diversos animes como Code GeassNaruto ShippudenDimesion W.

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada | “Vai chorar? – Ayanon, 2018”

Ressalta-se, que, nos últimos episódios, os traços – principalmente os da Ayano – ficaram mais grosseiros; uma coisa muito estranha de se ver. Tirando esses fatores, a direção de Shinpei Ezaki soou competente com o que ele poderia fazer. A escolha de optar por uma pegada mais dramática e, principalmente, de não dar tanta ênfase ao ecchi, contaram pontos ao mesmo.

Aspectos técnicos que merecem destaque: trilha sonora, animação (dos primeiros episódios)Background art
Surpreenderam: Tema de abertura e encerramento, fotografia
Poderia ter sido melhor: a animação do episódio 8 em diante

Composição de série

As escolhas aqui feitas foram interessantes, porém, mal-desenvolvidas. Ademais, muitos plots que tinham potencial foram deixados de lados ou se resolveram de uma forma muito medíocre. Como citado nos parágrafos dos personagens, o roteiro abriu muitas lacunas, entretanto, não as fechou devidamente – com exceção da parte da Nagisa – a única que salva.

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada | “Raquete neles, Nagisa!”

Essa superficialidade na resolução de problemas e romances (quem viu sabe do que estou falando)  foi uma tremenda decepção para um roteiro que tinha um enorme potencial. Na boa, simplesmente deixaram de lado todo o ódio da Ayano no final?

Recomendação da sua cafeteria

O anime, como puderam ver, decepciona em certos aspectos, entretanto, ainda é uma ótima pedida. Tanto para você que quer conhecer o esporte ou para você que gosta desse universo esportivo em geral. Todavia, nossa cafeteria recomenda que você não gere expectativa nos plots secundários com potencial, pois como dito, eles são deixados de lado.

©LIDENFILMS/Kosuke Hamada | “Connie será nossa nova maid aqui no café, então dá uma chance para a obra vai!”

Hanebado! está disponível pelo serviço de streaming Crunchyroll.

Nota: 7.5 – Café Submarino/Cappuccino

Posts relacionados