Animes Blog Reviews

Review: Hoshiai no Sora

Hoshiai no Sora
©8bit/Kazuki Akane
Hoshiai no Sora — descrição técnica 

Nome alternativo: Stars Align
Diretor: Kazuki Akane
Estúdio: 8bit
Número de episódios: 12
Adaptado de: nenhum material (anime feito originalmente para a TV)
Composição de série: Kazuki Akane
Gênero(s): drama, esportes, slice of life e vida escolar

Hoshiai no Sora é um anime bom, mas que poderia ser bem melhor se não fossem por certas situações deixadas ao relento.

Ponto de partida para algo promissor

A história do anime fala sobre um clube masculino de soft tênis, que constantemente é superado pelo clube feminino, e, com isso, enfrenta escassez de recursos devido às suas habilidades precárias e a falta de resultados positivos nas partidas. Na necessidade desesperada de membros, Touma Shinjou encontra Maki Katsuragi, e a história começa.

Quando Maki se junta à equipe, sua forma incrível e seu rápido aprendizado permitem que ele ofusque imediatamente os demais membros.

Embora isso dê origem a conflitos entre os meninos, Maki os desafia e empurra seus colegas não apenas para acompanhar seu talento aparentemente natural, mas também os leva a se dedicarem ao jogo que antes negligenciavam.

Apesar de ter como plano de fundo o esporte, no caso o soft tênis, a história de Hoshiai no Sora retrata sobre conflitos familiares. O esporte é como uma maneira deles escaparem daquele mundo confuso e complexo das famílias, no qual há brigas, discussões, e principalmente temas mais sérios que são abordados.

O começo dos problemas

Contudo, esta série contém muitos, mas muitos dramas. Existem tantos que se tornam previsíveis em praticamente todos os momentos. Após metade do anime, você entende rapidamente que cada personagem terá seu arco dramático em algum momento da série.

Infelizmente, doze episódios não foram suficientes para desenvolver dramas para todos os personagens da melhor maneira. A narrativa é, portanto, incômoda, temos a impressão de que os dramas seguem sem conexão lógica.

O diretor do anime, Kazuki Akane, declarou em seu Twitter que a obra teria ao todo 24 episódios, mas a produção foi cortada para apenas 12; o que de fato prejudicou o desenrolar dos acontecimentos do anime, deixando muitas situações avulsas e sem explicações.

Outra situação, que, ao meu ver Hoshiai no Sora peca, é na repetição das mesmas situações dos pais. Aqui vemos que todos, eu disse todos eles do clube, possuem um grande problema familiar em que um dos pais é ruim — de maneira a tentar acabar com os sonhos e a “vida” dos seus filhos.

Que existem pessoas ruins no mundo, com certeza é um fato. Agora é uma coincidência muito grande todos os pais deles serem da forma que são.

O histórico de alguns personagens fizeram eu me sentir indiferente, pois não tinham um bom tempo de tela para que pudêssemos ter empatia.

Hoshiai no Sora poderia ser uma excelente série, mas o drama se tornou excessivo demais e eu me senti cada vez menos envolvido em torno de cada um.

Aspectos técnicos

Sobre a parte técnica, o estúdio 8bit se saiu bem. A animação é muito boa, e o foco está na fluidez e na captura dos movimentos.

Também contamos com cores suaves e vibrantes, cenários surpreendentemente detalhados; além de um character design mais simples, propositalmente feito dessa forma para facilitar a animação.

Em linhas gerais

Stars Align é um anime bom, contudo, poderia ser ainda melhor se tivesse mais episódios para o fechamento dos arcos.

Seu final é inconclusivo, muitas histórias ficaram abertas; além de núcleos de personagens não fechados.

Mostra-los fora do cenário esportivo nos permitiu explorar temas muito interessantes, mas eu gostaria de me sentir mais interessado nesses dramas — infelizmente, eles se tornam chatos com o passar do tempo.

Nota: 6 — Chocolat chaud (chocolate quente)


©CloverWorks/Hajime Kamoshida | “Anime ok, mas poderia ser melhor”

Leia mais reviews acessando ao nosso índice.
Confira mais reviews referentes ao outono de 2019.

Posts relacionados