Animes Blog Reviews

Review: Kishuku Gakkou no Juliet

©LIDENFILMS/Yosuke Kaneda
Kishuku Gakkou no Juliet – Descrição técnica

Nome alternativo: Boarding School Juliet
Diretor: Seiki Takuno
Autor original: Yosuke Kaneda
Estúdio: LIDENFILMS
Adaptado de: Mangá
Número de episódios: 12
Gênero: Ação, Comédia romântica, Vida escolar

O inesquecível romance de William Shakespeare, Romeu e Julieta, já foi retratado em diversas mídias. Desde livros, peças teatrais, novelas, filmes e, recentemente, o mangaká Yosuke Kaneda; inspirando-se nesse universo, criou a obra Kishuku Gakkou no Juliet – adaptada para anime no outono de 2018.

Assim como a obra de Shakespeare, aqui há discórdia entre duas famílias, no caso, dois dormitórios rivais. Os White Cats e os Black Doggies. Com a rivalidade implementada, não poderia faltar o incremento principal de tudo – o romance proibido.

A obra foi para o estúdio LIDENFILMS, que, de longe, está de parabéns pelos seus trabalhos de 2018. Entretanto, o que mais se destaca em Juliet, é a sua fotografia. Os cenários em momentos chaves para o enredo são extremamente polidos; além disso, o modo como Hitoshi Tamura, o diretor de fotografia, dispõe as luzes, é algo feito minuciosamente bem.

Entretanto, o bom trabalho com a fotografia não apaga os erros e as inconstâncias com a animação. Não sei se o fator “tempo” pesou para a equipe, mas vale dizer que o estúdio estava com duas obras na temporada – a outra era Beelzebub-jou. Em linhas gerais, parte dos animadores devem ter ficado na staff do outro anime; onde víamos cenas bem mais lapidadas.

O casal do ano? 

Falar isso é meio controverso. 2018 trouxe diversos casais cativantes. Talvez, o que mais tenha caído no gosto do público, foi o shipp Hiro e Zero Two de Darling in the FranXX. Todavia, Romio Inuzuka e Juliet Persia dispõe de química – fato muito importante para que um casal funcione.

O que sempre me incomodou durante a obra, foi a Persia ser usada como “donzela indefesa e incapaz” algumas vezes. No primeiro episódio, somos apresentados a seu pulso firme de lidar com as coisas. Todavia, parece que desde o momento em que ela começou a se envolver com o Romio, sua participação foi ficando enfraquecida.

Por outro lado, Kiba Inuzuka cresceu bastante. O rapaz destacou-se na obra; tirando do impossível, situações possíveis. Sendo um dos grandes colaboradores para que os encontros com a Persia sempre funcionassem e dessem certo.

Resumidamente, a química era boa, mas o Inuzuka acabou se sobressaindo demais frente à Persia. O que para mim foi um ponto negativo. Se tivéssemos isso mais equilibrado, aí sim, poderíamos julgar como o casal do ano. Por hora, eles ficam entre os melhores; mas ainda não ocupam o primeiro lugar.

Tudo depende do suporte

Eu admiro demais o anime no quesito de personagens. O trabalho com eles é algo notável. Char e Hasuki, melhores amigas de Persia e Inuzuka; respectivamente, são o melhor complemento que um casal protagonista poderia ter. A Char é bem no estilo “ojou-sama”. Ela lembra um pouco a Erina Nakiri de Shokugeki.

Apesar de sua personalidade forte, Char é uma das grandes contribuintes para o sucesso do romance. Sempre desfazendo as burrices de Romio. Quem, por diversas vezes, tem que fazer isso também, é a Hasuki. A professora sem classe, para os mais íntimos. Ela é uma personagem grandiosa, porém, deixaram-na de lado no momento em que ela poderia ser de maior destaque. Fato que me desapontou.

Em linhas gerais

O show é cheio de interações ótimas (principalmente no que diz respeito a Char e Inuzuka). As situações cômicas também não deixam a desejar, porém, a obra é completamente clichê; abordando todos os principais pontos de uma datada comédia romântica.

Isso não deixa o anime ruim, pelo contrário, a obra chegou com o propósito de ser um romance clichê cheio de easter eggs. Por ser puramente simplista e sincera, a produção é agradável e proporciona um bom divertimento.

Nota: 7 – Café submarino

©LIDENFILMS/Yosuke Kaneda | “Esse anime recebe o selo Hasuki reluzente de qualidade!”

Kishuku Gakkou no Juliet está disponível no catálogo do serviço de streaming Amazon Prime Video.

Posts relacionados