Animes Blog Reviews

Review: Kono Oto Tomare!

Kono oto tomare
©Platinum Vision/Amyū |
Kono Oto Tomare! – descrição técnica

Nome alternativo: Stop This Sound!
Diretor: Ryōma Mizuno
Estúdio: Platinum Vision
Número de episódios: 13
Autor original: Amyū
Adaptado de: mangá
Gênero(s): drama, música, romance e vida escolar

Um anime simples na sua proposta de romance, denso em seu drama e profundo na parte musical. Acho que essa frase inicial resume bem o que Kono Oto Tomare é.

Dramas individuais

Os personagens principais são assombrados por grandes problemas do passado, em especial o Chika e a Houzuki, digamos que os dois alicerces da carga dramática do anime.

Me arrisco a dizer que Kudou Chika é um dos personagens que mais me surpreendeu no ano de 2019, a história dele é cativante e emocionante — ao ponto de me deixar aos prantos no episódio cinco.

Ele tem o esteriótipo de valentão e, devido a isso, as pessoas costumam evitar bastante ele, inclusive o próprio protagonista, Takezou. Por mais que seja brigão, ele é um rapaz que aprendeu a amar o ato de tocar koto — devido a uma grande perda que teve em sua vida.

A Houzuki não fica para trás no sentido drama bem construído, e com ela é a típica cobrança familiar pela perfeição — algo até comum em animes de música.

As mudanças de personalidade dela são engraçadas no início e seu jeito tsundere é muito fofo. Depois de descobrirmos tudo que a mãe dela a fez passar, o sentimento é de querer guardar a Houzuki dentro de um potinho e proteger aquele sorriso custe o que custar.

Kono oto tomare
©Platinum Vision/Amyū | “O trio principal do anime!”

Personagens que merecem destaque: Kudou Chika e Satowa Houzuki
Surpreenderam: Hiro Kuruzu, Tetsuki Takaoka e Suzuka Takinami
Merecia ser melhor aproveitado: Takezou Kurata

Takezou é o presidente do clube e único membro no início da obra, mas nessa primeira parte do anime, ele ficou um pouco apagado frente aos outros dois membros citados acima.

O passado dele com as senpais até é interessante, mas não é cativante como o da Satowa e o do Chika, entretanto, isso não o torna um personagem ruim — pelo contrário — Takezou tem seus momentos de importância nos quais costuma ser o único com a cabeça no lugar para resolver os problemas.

Introduções seguintes 

O professor Takinami também tinha bastante cobrança em seu passado. No início, parece que ele vai ser somente um orientador querendo atrapalhar o funcionamento do clube, mas a maneira que colocaram ele na história é bem interessante.

Outra grande surpresa é a Hiro Kuruzu, que entra no clube e o primeiro sentimento que a personagem deixa é de um ódio gigantesco. Bastou mais uns dois episódios para ela cair nas graças do público, é uma personagem com muitos problemas anteriores também.

O melhor amigo do Kudou, Tetsuki, também é bem importante no enredo — e tem a cabeça no lugar mais do que o próprio Takezou. As participações dele são tão pontuais e importantes quanto a dos outros membros de suporte do clube.

Sobre os meninos que entram depois, eles são divertidos e dedicados, o que acabou os deixando como um ótimo complemento para o clube, principalmente, para os momentos em que uma comédia soava necessária para “quebrar o gelo”.

Experiência musical profusa

Um dos grandes problemas que os mangás de música apresentam é o fato de não podermos ouvir as apresentações — e as adaptações audiovisuais costumam suprir bastante isso. As apresentações que têm são ótimas e as duas principais — nas quais o clube toca Ryuuseigan e Rokudan — as cenas são ligadas com lembranças passadas e/ou desafios de momento; o que faz o público ficar completamente imerso no que está acontecendo.

©Platinum Vision/Amyū | “Chika deixando a gente apreensivo nas vésperas de uma apresentação importante ~”

Sem falar do instrumento: o koto. Antes do anime, eu nem sabia da existência de tal, e me arrependo disso, afinal, as apresentações são verdadeiras obras de arte que todo mundo que aprecia uma boa música deveria conhecer.

Romance simples e cativante

Ao término da primeira temporada, muito provavelmente você estará com dois casais em mente:

  • Takezou e Hiro;
  • Satowa e Chika.

A relação dessa galera é bem simples, e são aqueles casais que não precisamos de muito para começar a shippar. Para quem gosta de um indício de romance para aliviar o drama, as melhores partes vão ser essas, nas quais há uma boa dose de comédia nas interações — principalmente nas do Chika com a Satowa.

Em linhas gerais 

A primeira temporada é muito boa. A soma de todos aqueles fatores citados na minha primeira frase a torna uma ótima pedida para quem gosta de dramas e música. Kono Oto Tomare é simples na proposta, mas lindo na execução.

Nota: 9 – Frappuccino 


©Shaft/Naoshi Komi | “Esse anime é tão maravilhoso quanto a Chitoge!”

Leia mais reviews acessando ao nosso índice.

Posts relacionados