Animes Blog Reviews

Review: Re:Stage! Dream Days♪

Re:stage
©Graphinica/Yumeta Company/Shin Katagai/Team Yoree | “Re:Stage girls!”
Re:Stage! Dream Days♪ – descrição técnica 

Diretor: Shin Katagai
Estúdios: Graphinica e Yumeta Company
Número de episódios: 12
Composição de série: Team Yoree
Adaptado de: uma franquia japonesa da Pony Canyon e da Comptiq 
Gênero(s): música, slice of life e vida escolar

Re:Stage é uma obra com temática idol e que teve sua exibição na temporada de verão de 2019 – com uma história envolvente e personagens igualmente carismáticas, o anime foi uma grande surpresa.

Personagens principais

Eu gostei bastante da obra principalmente pelas músicas, mas não se restringiu apenas a isso, afinal, as personagens são incrivelmente simpáticas e carismáticas.

A Mana, “principal protagonista”, é a que chama mais atenção no quesito backstory. O passado dela guarda diversos segredos e mágoas – tais que a afastaram do mundo idol. O mistério que ronda a história dela (até finalmente descobrirmos tudo mais à frente) é um ponto que faz gerar ainda mais empatia pela moça.

Em um campus que não tinha foco em coisas de idol, ela só queria levar uma vida normal até conhecer a, na minha concepção, personagem mais determinada desse enredo – vulgo Sayu. Ela é persistente e carrega aquela típica aura de personagem que nunca desiste de seus objetivos (e nunca mesmo). Ela insiste na carreira, ela insiste nas competições e, claro, insistiu suficientemente para que a Mana começasse o grupo com ela.

Mesmo com tanto apelo neste ponto de determinação, eu senti falta de uma backstory mais forte para a Sayu. No final até há um drama familiar relacionado com a carreira dela, mas levando em consideração as outras personagens do grupo, deixou um pouquinho a desejar.

Fechando a trinca principal, há a Mizuha – presidente do clube de chá e dança lírica – local mais conhecido como a sede da KiRaRe. Ela foi uma surpresa enorme para mim, literalmente, uma personagem que eu não esperava nada, afinal, ela é bem passiva desde o início, mas há uma virada nas atitudes da pessoa dela para cooperar com o grupo que foi para bater palmas.

©Graphinica/Yumeta Company/Shin Katagai/Team Yoree | “Os três alicerces deste grupo!”
A KiRaRe não se restringe apenas as três 

Mais três personagens importantes apareceram para complementar o “círculo principal” – uma das primeiras foi a Kae Hiiragi, uma moça introvertida muito fã de tudo relacionado ao mundo idol. Embora ela seja um suporte entre as meninas principais, ainda sim dispõe de uma presença “cirúrgica”, afinal, ela é responsável por várias decisões importantes, e ela só foi capaz de tomá-las devido a suas análises precisas sobre pessoas e situações.

Subsequentemente, há a introdução da Kasumi – outra do grupo “passado denso”. Ela adquiriu um trauma quando, no passado, emprestou sua voz para uma personagem fictícia – tal qual ficou muito famosa. A Kae, aliada as outras meninas, foi o grande “gancho” para que Kasumi recuperasse seu desejo de cantar.

Por último, não menos importante, temos a Minori Hasegawa, vice-presidente do conselho estudantil e que era um verdadeira chata no início do anime. Ela toma algumas atitudes que são de irritar, mas tudo muda a partir do meio da obra quando descobrirmos as reais intenções dela, e cá estamos nós com outra surpresa.

Personagens que merecem destaque: Mana e Kasumi
Surpreenderam: Minori, Mizuha e Kae
Poderia ser melhor aproveitada: Sayu

Meninas dos outros grupos

Os grupos rivais são um caso interessante – alguns são mero alívio cômico e outros dispõe de uma história legal, como é o caso da principal equipe rival da KiRaRe, a Stellamaris. Este que é formado pela irmã mais velha da Mana, Aone, e por mais duas personagens – a divertida Sango e a menina séria, Ruka.

As músicas delas são incríveis, bem como as coreografias. Elas realmente estão em outro nível quando se trata da competição principal do anime – o Prism Stage.

No episódio “Yukari-san é a minha tia” nós descobrimos o duo Ortensia – formado pela Yukari e pela Haruka, a sobrinha. A princípio, achamos que elas são amigas (no máximo irmãs), mas ai vem o “mindblow” que o próprio título do episódio entregou – e que foi bem legal!

As coreografias da Ortensia dispõem de uma identidade única, e elas acabam sendo mais envolventes pelo “fator duo”. São danças complexas, mas muito bem-executadas por apenas duas personagens. É algo que eu senti quando a Mana se apresentou na primeira “mini-live” que ela fez com a Sayu, em outras palavras, eu sinto que o “fator duo” tem um apelo maior.

Ortensia
©Graphinica/Yumeta Company/Shin Katagai/Team Yoree | “As meninas da Ortensia! ~”
Sobre a parte técnica e o enredo

Não é nada primoroso, mas está longe de ser ruim. O estúdio Graphinica, principal nesta produção, é especializado em dar suporte a estúdios maiores na parte de In-Between animation, que são exatamente as cenas que devem ser vistas em movimento, o que tornou o fator movimentação no anime – por mais que feito em CGI – muito interessante.

Re:Stage!
©Graphinica/Yumeta Company/Shin Katagai/Team Yoree | “Minori em seus dias de persona chata em Re:Stage ~”

No que diz respeito ao enredo, os parágrafos anteriores conseguiram demonstrar bem o quanto achei interessante a abordagem individual de cada personagem. Todavia, a trama no geral é bem simples, não é nada inovadora.

É um grupo do colégio que quer alcançar algo maior (no caso vencer o Prism Stage), porém, a sensação que fica é de que mesmo sendo algo simples, a boa execução o faz se destacar bastante.

Existe muita diferença quando o simples é feito de forma ruim e quando ele é feito com certo cuidado, isso diferencia boas obras de outras que são medianas/ruins.

Re:Stage!
©Graphinica/Yumeta Company/Shin Katagai/Team Yoree | “Se a Kasumi não é uma das melhores, eu não sei quem é ~”
Em linhas gerais

Re:Stage é mais do que recomendado para quem busca um anime com uma história simples, divertida e com boas músicas. Em outras palavras, ele é ótimo para quem quer passar o tempo de uma forma tranquila, o clima do anime proporciona muito isso (salvo os momentos mais tensos da trama).

Com certeza, dos 30 animes que eu vi na mesma temporada, este é um dos que eu criei um carinho e um apreço e que certamente entrou para a minha lista de “assistir novamente”. Como eu disse, ele é simples, mas não se propôs a ser mais do que isso, o anime executa muito bem a proposta desde o início.

Nota: 8.5 – Cappuccino  


©P.A. Works/Toshiya Shinohara | “Este anime merece o selo Hitomi da primavera de qualidade!”

Re:Stage! está disponível no catálogo do serviço de streaming HIDIVE.
Leia mais reviews acessando ao nosso índice.
Confira mais reviews referentes ao verão de 2019.

Posts relacionados