Animes Blog Reviews

Review: The Promised Neverland

©CloverWorks/Kaiu Shirai/Posuka Demizu | “A cara da maldade”
The Promised Neverland – Descrição técnica 

Diretor:  Mamoru Kanbe
Autor(es) original(is): Posuka Demizu (arte) e Kaiu Shirai (história)
Estúdio: Cloverworks                                                                                                                                                            Episódios: 12
Adaptado de: Mangá
Gênero: Ficção Científica, Mistério, Psicológico, Thriller, Shounen

Fala aí, leitor assíduo do Café Stile. Sejam bem-vindos à primeira review final da temporada de inverno de 2019. Começaremos, então, por Yakusoku Neverland, um anime que dividiu opiniões, alternando entre bons momentos e outros não tão bons assim.

A Obra

The Promised Neverland consegue ser um anime que traz consigo um suspense psicológico. Dessa forma, trouxe, em muitos momentos, sensações que nos causam medo e ao mesmo tempo empatia para com as situações mostradas. Contudo, a falta de diálogos mais explicativos é prejudicial para a identificação com os personagens e um envolvimento maior com a história. Porém, a premissa da história é interessante: uma fazenda na qual o “gado” são crianças, que são levadas para o abate e servem de comida para demônios,. Estes apreciam especialmente seus cérebros ainda que não saibamos o porquê.

Uma particularidade de Neverland são os protagonistas Emma, ​​Norman e Ray. Eles são capazes de escapar da fazenda por conta própria. Emma é tão compreensiva e altruísta que está determinada a salvar a todos, independentemente do custo para si mesma.

Seus ideais, embora puros e bons, podem representar um problema. Já Norman e Ray têm suas próprias motivações, um pouco mais complicadas. Eles são um grupo bastante interessante, e suas ações são consistentes com suas personalidades estabelecidas.

©CloverWorks/Kaiu Shirai/Posuka Demizu | “Abraço em grupo”
Desenvolvimento dos Personagens?

O grande problema que vi com eles é que não há uma grande profundidade em suas histórias. Isso chega a ser antagônico, pois são os três personagens mais eminentes no anime, em termos de protagonismo. Uma outra falha diz respeito às outras crianças dentro da fazenda. Isso porque a grande maioria delas teve desenvolvimento quase nulo. Eu, particularmente, gostaria de ver mais das personalidade delas e seus respectivos crescimentos como personagens.

Uma outra situação que particularmente me incomodou foi que, com apenas onze anos, todos são muito mais inteligentes do que a maioria de nós nessa idade. Isso dificulta um pouco a plausibilidade da obra,  uma vez que que nunca é explicado sobre sua educação e o que os levou a serem assim. Na minha visão, o que teria tornado os personagens mais convincentes seria a inclusão de monólogos internos para que eles pudessem nos dar uma visão de momento a momento do seu estado mental e de suas estratégias.

©CloverWorks/Kaiu Shirai/Posuka Demizu | “Que isso mano!”

Quanto aos vilões, a Mama Izabella nos passa uma sensação de figura intimidante, que causa relativo medo com suas facetas durante a obra. Ela é usada para despejar exposição e construção de mundo, e isso é bem interessante para vermos todo esse lado mais amedrontador dela e o que está disposta a fazer para conseguir seus objetivos.

Construção e Estética dos Acontecimentos

Os personagens encontram obstáculos no caminho de seus objetivos à medida que surgem novos conflitos. Isso dá à história um fluxo natural e mais rápido, fato que torna a obra mais instigante de se assistir. O trabalho de câmera “shot-reverse-shot” (é uma técnica de filme em que um personagem é mostrado olhando para outro personagem, geralmente fora da tela, e então o outro é mostrado olhando para o primeiro personagem) é usado para grande parte deles, com a captura ocasional de takes longos ou panorâmicos criativos usando o plano de fundo em CGI. Isso, juntamente com o baixo zumbido da música de fundo, ajuda a manter uma tensão na atmosfera. Se pelo menos o mistério não fosse tão fácil de prever, teria sido uma obra ainda melhor.

As reviravoltas altamente telegrafadas, e as descobertas exageradas tornam os resultados menos impactantes do que deveriam ser. Muitas informações nos são dadas para que possamos descobrir as reviravoltas por conta própria com as pistas que o anime nos entrega. Contudo, há uma gangorra de emoções,feitas demasiadamente rápido. Além disso, as transições entre elas não são tão plausíveis.

Opinião final

A primeira temporada de The Promised Neverland me divertiu e prendeu a minha atenção do início ao fim, principalmente pelos ganchos dados nos finais dos episódios, o que atiça a curiosidade de quem assiste, pelo menos foi no meu caso. Porém, por conta de algumas inconsistências de roteiro e um enredo que possui incoerências grandes, eu diria que esse anime foi uma adaptação mediana para boa. Esperamos, pois, o ano de 2020, para vermos se a segunda temporada será melhor que a primeira.

Nota: 7 – Café submarino

©TROYCA/Nio Nakatani | “Parece que a Yuu se surpreendeu com o título, tanto pro positivo quanto pro negativo!”

The Promissed Neverland está disponível pelo serviço de streaming Crunchyroll e também pelo HiDive.

Posts relacionados