Análises Semanais Animes Blog

Tensei Shitara Slime Datta Ken | Episódios 21 e 22: Em Busca da Terra do Nunca

©8bit/Taiki Kawakami & Fuse | “Olha a referência….”
Tensei Shitara Slime Datta Ken | Episódio 21 – Alunos da Shizu-san <> Episódio 22 – Conquistando o Labirinto

*Nota: Tensei Shitara Slime Datta Ken está sendo acompanhado quinzenalmente, ou seja, a cada dois
episódios, uma análise.

Mais duas semanas se passaram, e, como é de praxe, chega para vocês a análise dos episódios 21 e 22 de Tensei Shitara Slime Datta Ken. Não tivemos grandes desenvolvimentos de personagens nessa quinzena, e ambos os episódios foram bem parados, por assim dizer. Justamente por isso, a análise dos dois episódios será mais sucinta, pois enrolá-los com coisas desnecessárias não valerá a pena. Então vamos esmiuçar para ver o que de bom teve nos dois episódios.

Episódio 21: Essas crianças são brabas

Como eu disse anteriormente, não vou me alongar com a análise destes episódios. Serei mais breve, beleza? Pois então, o 21º episódio de Slime nos mostrou, basicamente durante todo ele, a rotina das crianças e do Rimuru sendo seu sensei/professor. O mais puro slice of life nos foi passado aqui, de maneira bem serena e nada muito extravagante.

Contudo, a parte das crianças mostrando seu poder no desafio feito por Rimuru a eles, foi bacana. Aqui vemos a personalidade de cada um e os poderes que cada um tem, que são bem diversificados entre si. Achei interessante. Ademais, as crianças são muito kawaii e muito poderosas, queria ter filhos assim. As meninas são muito engraçadinhas.

Aí tivemos um ataque de um dragão aleatório à cidade. Rimuru eliminou a ameaça em menos de 5 segundos (o cara é apelão demais, cê é louco). Para não deixar passar, tivemos também a busca do Slime, vulgo Rimuru, atrás dos espíritos celestiais. Isso aconteceu com o intuito de ajudar as crianças a controlarem seus poderes e evitar de eles perderem suas vidas pelo excesso de magículas. Essa situação tem um complemento no episódio seguinte mas foi interessante de ver os esforços de Rimuru para salvar as crianças e consequentemente honrar o legado deixado por Shizu.

Episódio 22: Sininho é Você?

Este episódio é melhor que o anterior, entretanto o plot e o desenrolar dos acontecimentos foi um pouco fraco, mas vamos lá. Vemos aqui que eles chegam a um labirinto e de repente surge uma voz que comanda aquele lugar e propõe um desafio para Rimuru e seu gado… quero dizer, para Rimuru e suas crianças. Como é de praxe, o desafio foi ganho pela amoeba, apesar de ter sido um pouco mais difícil que aquele dragão do episódio anterior.

Porém, após derrotar esse robô, vemos que a voz daquele ser que comandava aquele local pertence a um lorde demônio (já aparecerão tantos lords demônios que já perdi as contas), de nome Ramiris, uma fada, que lembra muito a sininho lá de Peter Pan. Aliás, só eu que percebi que essa parte é uma referência ou homenagem a Peter Pan? Temos uma fada, temos o Rimuru, que é o Peter, aí temos as crianças, que representariam os garotos perdidos da obra inglesa, enfim. É uma grande peça teatral, hein?

Ademais, temos uma conversa franca entre o Slime e a fadinha sobre o mundo dos espíritos, para poderem controlar a magia das crianças. Ele descobre que Ramiris além de ser um lorde demônio é também a rainha dos espíritos. E aqui há uma informação bem importante. Ela diz que era uma rainha dos espíritos e decaiu, assim como Leon. Lembra dele? O mesmo que invocou Shizu para esse mundo ainda criança e colocou o demônio dentro dela. E nos é revelado que ele era um herói, ou seja, heróis também podem se tornar lords demônios naquele mundo.

Contudo, isso abre uma série de questionamentos sobre como isso ocorre e sobre como uma pessoa naquele mundo “decai”. Será por meio de um ritual? Por corromper sua alma? Ninguém sabe ainda. Fato é que essa informação vai ser de grande importância para entendermos os verdadeiros objetivos de Leon naquele mundo. O episódio termina com Ramiris ajudando Rimuru a chegar à Morada dos Espíritos com as crianças para buscar a “salvação” deles.

Em Linhas Gerais

Tensei Shitara Slime Datta Ken vem caindo muito nesta segunda metade da temporada. A sensação que se passa é de um roteiro bem lento para a construção do plot atual da obra. A obra tinha um potencial bem grande e a primeira metade mostrou bem isso, mas na segunda vem falhando em aspectos de enredo, de desenvolvimento e principalmente de trama.

Ademais, esses dois episódios foram medianos, bem slice of life como foi o caso do episódio 21 e que foi bem construído, dado a proposta que o episódio nos passou. As crianças são um caso a parte. São muito boas, são carismáticas e são bem engraçadas. Espero que o plot delas siga com um desenvolvimento ainda maior.

No episódio 22, tivemos uma revelação interessante mas que não sustentou este episódio. Tivemos a parte de comédia que foi méh, mas que já é de praxe da obra. Realmente espero que nestes episódios finais a obra salte de qualidade para algo maior e melhor, pois com o andar da carruagem, será uma decepção grande após a grande expectativa dada pela primeira metade da obra.

Nota B – Red Velvet

©CloverWorks/Hajime Kamoshida | ” Tirando as crianças e a revelação a expressão da Koga representa minha decepção…”

 

Tensei Shitara Slime Datta Ken está em simulcast pelo serviço de streaming Crunchyroll.

Posts relacionados