Análises Semanais Animes Blog

The Promised Neverland | Episódio 9: Sem Saída

©CloverWorks/Kaiu Shirai/Posuka Demizu | “Hoje eu sou pura maldade”
The Promised Neverland | Episódio 9 –031145

*Nota: The Promised Neverland está sendo acompanhado semanalmente; ou seja, toda semana haverá uma análise.


Está chegando, como em toda semana, a análise do episódio 9 de The Promised Neverland, no qual vemos que fugir do Gracefield House é uma tarefa muito mais árdua do que eles imaginavam. Além disso, finalmente tivemos um pequeno deslumbre do que há além das muralhas. Então chega mais, para aquela análise que só o Café Stile faz.

O que faremos?

Este episódio começa exatamente de onde o anterior termina (sei que isso é redundante, mas serve como uma contextualização). Vemos, com maiores detalhes, o que acontece com o pessoal da floresta quando a Mama Isabella quebra a sua perna. Houve aquele diálogo de terror dela para com as crianças, e todos ali ficaram catatônicos ao descobrir que Norman será a próxima criança a ser adotada. As expressões das crianças, de pânico e medo, mostram o quão aterrorizante é o jogo psicológico da mama para com eles.

Cortando para outra situação, tivemos uma conversa entre Norman e Emma. Aqui, observamos interessantes detalhes. Quando ele vai buscar uma água para Emma, vemos uma construção de detalhes que só mostram o medo que o Norman está passando, por mais que isso não transpasse para seus amigos. Até mesmo aconteceu dele não conseguir abrir uma torneira e deixar o copo cair dentro do suporte por onde a água vaza.

E o que isso representa? Representa nervosismo, inquietude e principalmente medo do que vai acontecer. Isso porque, apesar de ser uma pessoa sábia e calculista, não deixa de ser uma criança, e tudo aquilo abala o seu psicológico de maneira grande, ao ponto de não saber mais o que fazer. Se reparar bem, durante toda esta cena, em nenhum momento mostram o rosto do Norman. Somente após lavar seu rosto, percebemos o que realmente ele deixa transparecer em seu rosto: desespero. E isso, meus amigos, é um ponto bem positivo para esse episódio.

Reformulando planos

Após todo esse acontecimento, temos uma conversa entre o trio de protagonistas Emma, Norman e Ray. Eles estavam discutindo sobre como escapar, e então uma ideia surge do Ray; que o Norman possa escapar sozinho dali. E todo diálogo presente mostra que essa é uma ideia válida, pois o plano descrito é bem interessante para uma futura ajuda mútua para todas as crianças escaparem quando Emma se recuperar.

Contudo, Norman recusa todas as ideias deles para poder escapar. Um adendo aqui é saber o quanto Ray é inteligente e atento a todos os detalhes em torno daquela fazenda. Porém, Emma vem com uma ideia pra lá de absurda, mas que, no contexto daquele lugar, faz total sentido. Vemos que os demônios precisam da “mercadoria” em perfeito estado, para poderem serem abatidos.

Porém, se estiverem doentes ou com algum membro quebrado, tecnicamente eles não vão querer por hora. E a Emma sugere que se quebre a perna do Ray. Dessa forma, ninguém é levado em seu lugar e o Norman poderá escapar. O mais engraçado, aliás, é que eles falam com toda uma naturalidade, como se quebrar algum membro fosse algo normal, assim como escovar os dentes ou dormir. Bizarro, hein?

Continuando…

Depois de Emma ter um momento romântico com Norman, fazendo seu coração gelatinoso derreter e suspirar de paixão, ele aceita o plano. E vemos, a partir de então, uma sucessão de situações que foram planejadas por Ray há algum tempo. Todas as peças que a Mama dava para ele, pelo seu trabalho de espião, eram parte de seu plano para construir algo que desativasse os rastreadores da orelha das crianças. E ele construiu uma espécie de Taser para tal e entrega para o Norman.

E aí temos uma outra revelação. Norman questiona Ray acerca de como ele sabia dos segredos da casa. Este responde, então, que possui lembranças desde que era um feto/pequeno bebê e soube de todos os detalhes por meio de conversas entre os demônios para com os humanos e que ele não passou  pela chamada Amnésia Infantil. Eu fui fazer uma pesquisa sobre o assunto e realmente esse fenômeno existe.

Contudo, existe uma parte da explicação da doença que diz o seguinte: Há casos de pessoas que afirmam se lembrar vividamente de fenômenos anteriores (de quando eram bebês). Embora em alguns casos isso possa acontecer, na maioria das vezes não estaremos diante de uma memória real, mas de uma elaboração gerada a partir da informação que temos no presente (por exemplo, com base no que nossos pais disseram sobre o que aconteceu). E, em muitos casos, quem fala sobre a lembrança não está mentindo, ele apenas gerou uma falsa memória que é vivida como verdade. Será que realmente tudo que Ray ouviu é real, ou apenas uma mentira proporcionada por experiência já ocorridas? Olha as teorias…

Vamos fugir… Pra outro lugar, baby…

Nesta parte final da análise, vemos que cada um dos participantes desse plano estão fazendo algo para Norman poder escapar. Contudo, vemos o garoto de cabelo branco encontrar a caneta que a Irmã Krone havia escondido na gaveta, supostamente do Ray. O que nos faz pensar; o que  será que aquela caneta possui de especial, para ter esse destaque? Vamos descobrir nos próximos episódios.

Alí, nos prados e campinas verdejantes da fazenda, vemos todas as crianças brincando ali fora, com a Mama Isabella observando tudo. Mas Norman já estava correndo em direção à floresta, com todos os equipamentos preparados para ele. E, após armar tudo aquilo para escapar daquelas muralhas, vemos que ele realmente consegue seu objetivo e chega ao topo do muro. Contudo, ele observa algo que o deixa paralisado.

Já ao entardecer, vemos que Isabella pergunta onde está o Norman para as crianças e olha em seu rastreador. E, para a surpresa de todos, Norman volta, sem escapar. Seus amigos ficam em choque por saber que ele não escapou e Ray e Emma vão tirar satisfações com ele sobre isso. Contudo, ele revela que, atrás das muralhas, tem um penhasco, ou uma espécie de fosso, e não há como escapar. E o episódio termina…

Em Linhas Gerais..

Esse foi um episódio daqueles que nos faz ter diversas emoções: alegria, medo, tristeza, dor, agonia e principalmente a frustração. E todas as elas muito bem representada pelos personagens neste episódio 9 de The Promised Neverland.

Seu visual neste episódio está mais polido que os anteriores e mais bonito de maneira que percebemos isso quando a câmera, em diversos momentos, se faz presente de perto, na fisionomia dos protagonistas. Contudo uma coisa que venho batendo na tecla é a trilha sonora.

Ela é um caso a parte, e para o sentido ruim. Vemos que ela destoa e não causa aquela sensação de apreensão e suspense. Vemos isso na cena perto do final do episódio onde a mama Isabella está com as crianças lá fora e a trilha sonora que se tem ali, é pra cima e alegre. O que deveria ser exatamente o contrário. Deveria por uma música mais contundente a aquele momento, coisa que não aconteceu.

Ademais, o episódio em si foi muito bom, deixando ganchos interessantes para os três episódios finais do anime e mistérios acerca daquela caneta, que até agora está me intrigando. Além disso, como as crianças vão escapar daquela fazenda, com o abismo atrás delas? Será que a única saída será pelo portão principal? Perguntas que deixo para o anime responder…

Nota: A – Brownie de chocolate com doce de leite

©A-1 Pictures/Miyuki Nakayama | “A trilha sonora não está legal mas o gerente recomenda!”

The Promissed Neverland está em simulcast pelo serviço de streaming Crunchyroll e também pelo HiDive.

Posts relacionados