Blog Curiosidades Indústria Mangás

We Never Learn x 5-Toubun no Hanayome: semelhanças e diferenças

©Shueisha/Kodansha/Haruba Negi/Tsutsui Taishi

O ano de 2019 está cada vez mais próximo, e junto com ele, as aguardadas novas levas de animes. Entre os mais aguardados deste ano vindouro, figuram duas obras, no mínimo, parecidas, tanto em temática quanto em estilo: Bokutachi wa Benkyou ga Dekinai (também conhecido como “We Never Learn”) e 5-Toubun no Hanayome.

Logo ao ler suas sinopses, fica realmente difícil não compará-las. Inicialmente, Bokutachi e 5-Toubun falam de um protagonista masculino que acaba, devido a certas circunstâncias, tendo que servir de tutor para um um grupo de garotas.

©Shueisha/Tsutsui Taishi

Foi, sem dúvidas, curioso ver esses dois mangás tão semelhantes ganhando adaptação no mesmo período. Com efeito, haverá uma certa rivalidade, tanto explicitamente, com os fãs, quanto implicitamente, entre as próprias editoras. Isso porque elas são de revistas rivais — WNL é da Shounen Jump e 5-Toubun da Shounen Magazine. O sucesso de uma, portanto, pode afetar diretamente o da outra.

Enquanto elas ainda não estreiam, acho interessante compará-las para deixar claro, desde o início, os diferenciais de cada uma.

Tom

Esse é o fator que, ao meu ver, mais distingue as duas. Embora ambas possam ser consideradas comédias românticas, We Never Learn é bem mais focada no humor que 5-Toubun. Ainda que essa última não chega nem perto de ser um romance “Dark”, seu clima é um pouco mais sério que o de Bokutachi, este bem mais descontraído e com pouquíssimos momentos sérios.

©Shueisha/Tsutsui Taishi

Além disso, a obra da Jump possui mais fanservice sexual (não a ponto de ser considerado ecchi, no entanto) — já na da Magazineele é praticamente inexistente.

Narrativa

Honestamente, eu tenho uma certa preferência por histórias com tramas lineares. Nesse sentido, a narrativa de 5-Toubun no Hanayome agrada-me um pouco mais. Admiro o trabalho de autores que conseguem fazer uma história romântica com periodicidade semanal sem muitos capítulos inúteis para a trama — o Haruba Negi alcançou isso bem, ao meu ver.

©Kodansha/Haruba Negi

Em contraste com isso, os capítulos de We Never Learn são, em sua maioria, um pouco soltos. O estilo pelo qual Tsutsui Taishi optou foi parecido com o do seu mentor Naoshi Komi, autor de Nisekoi. Basicamente, a história inicia-se com uma ideia interessante, que é de certa forma procrastinada através de momentos cômicos não tão importantes. Entretanto, o autor soube fazer isso bem, tendo em vista seu ótimo timing cômico.

Personagens

Eu diria que esse é o fator que mais contribuiu para o sucesso das duas obras. Quer seja as duas gênios que não querem seguir suas respectivas áreas de domínio, quer seja as quíntuplas ricas que vão mal nos estudos, o grupo de heroínas é sempre composto por personagens carismáticas e curiosas.

©Shueisha/Tsutsui Taishi

Contudo, We Never Learn acaba se sobressaindo nesse quesito. Não há absolutamente nenhuma personagem desgostável, além de que, diferentemente de outras obras do gênero, não fica claro quem vai ficar com o protagonista no final. Já em 5-Toubun, é fácil notar com quem o protagonista vai se casar — isso mesmo, casar!

Considerações finais

Bom, eu tenho quase certeza de que quase todas as discussões futuras sobre Bokutachi e 5-Toubun serão bem-animadas. Não creio, porém, que o certo seja tentar cravar qual dos dois é melhor, mas sim avaliá-los pela perspectiva de sua proposta. Elas, apesar de serem parecidas, são bastante diferentes no que se refere à execução em si. Eu, particularmente, consigo me entreter bastante com ambos, cada um de sua maneira.

©Kodansha/Haruba Negi

Espero que vocês tenham se interessado pelas obras e consigam também aproveitar as duas! Agora só resta torcer para que os animes sejam boas adaptações, certo?

Posts relacionados